CAPER ENCERRA O CALENDÁRIO DE FEIRAS 2016


Oportunidades e Obstáculos formam um “casal” inseparável e isso fica mais claro quando se exibem num tango. O Obstáculo parece poderoso, intransponível, até que a Oportunidade vira de pernas para o ar e surge por cima dele, até cair do lado de fora; ele a cerca, passos circulares e arrastados, desliza o bico do sapato para nem tirar os pés do chão. Mas a Oportunidade gira como uma bailarina e se distancia, exibindo a silhueta para os bons observadores.
O enredo desse tango ilustra bem o que aconteceu nesta semana, em Buenos Aires, na 25a Exposição da CAPER – Cámara Argentina de Proveedores y Fabricantes de Equipos de Radiodifusión. A Argentina, em pleno processo de transição política, ainda enfrenta obstáculos expressivos na economia. Mas no espaço da Exposição, o que mais chamou atenção foram as várias oportunidades. Se preferir chamar de crise o conjunto dos obstáculos, tudo bem, mas vai entrar numa longa discussão sobre a realidade que nossos hermanos estão vivendo.
A Argentina adotou há anos o sistema brasileiro como tecnologia DTV. As transmissões digitais começaram pela TV estatal, fortalecida no Governo de Cristina Kirchner. Com a mudança nos rumos políticos, ainda não se tem uma diretriz clara para a expansão do sinal digital, muito menos uma data para o apagão analógico. E daí!? O VOD – Video on Demand, modelo de negócio do Netflix, Hulu e outros, está crescendo muito por lá. Trata-se de um mercado onde a TV por assinatura é proporcionalmente bem maior do que no Brasil. Isso sem contar as várias outras plataformas que suportam vídeo. Agora que tudo é byte mesmo...

A AUTONOMIA DO VÍDEO

A movimentação de pessoas durante a 25a CAPER foi intensa. Comparativamente, maior do que na edição anterior. Já os negócios estão demorando mais para se efetivar. Ainda faltam definições importantes para o mercado broadcast de lá e a própria regulamentação do setor pode ter que passar por uma repactuação com o Governo. Enquanto isso, os investimentos das emissoras caminham com muita cautela.
Por outro lado a Argentina tem uma densidade de banda larga semelhante à do Brasil e, quando se trata de dispositivos móveis, como os celulares, a proporção de aparelhos por habitante é maior ainda. A demanda por vídeo é global, não se limita à fronteiras e as soluções baseadas nessas plataformas surgem a cada dia. No caso da plataforma EiTV CLOUD, por exemplo, pode funcionar de maneira praticamente autônoma. Baseada na nuvem digital, dá ao usuário a opção de escalonar o custo de armazenagem de acordo com a demanda. E ainda, por meio do EiTV Play, conta com uma série de aplicativos para atingir o público que quiser, por tempo livre ou programado, de forma aberta ou direcionada, gratuitamente ou monetizado, dentre outras possibilidades de escolha. No atual cenário da economia argentina a plataforma caiu como uma luva para vários segmentos. A partir de agora fica aberto o período de testes e de customização para os diversos clientes, contando com o apoio dos representantes EiTV na Argentina.

A VERDADEIRA NATUREZA DA CRISE

A CAPER fecha o calendário anual de exposições para o ISDB-T, o melhor sistema de TV Digital em operação no mundo. Nesse período de dificuldades econômicas e políticas no continente, a sensação é de que a volatilidade tecnológica é um desafio maior do que a instabilidade econômica. E essa volatilidade só tende a aumentar.
Portanto, os empreendedores do segmento de tecnologia precisam de muita resiliência, que é a capacidade de se reinventar após um projeto mal sucedido. E precisam estar muito bem informados, para direcionarem os próximos investimentos. A ligação umbilical entre inovação e crescimento econômico, identificada por Schumpeter na primeira metade do século passado, está se evidenciando mais e mais a cada dia. É o mundo mais cerebral para o qual estamos caminhando.
O dinheiro, enquanto elemento central da economia, está preso a uma série de regras e convenções que limitam as alternativas em caso de crise. Já no mundo da tecnologia, o elemento central é a criatividade, e esta não está limitada a qualquer tipo de regulamentação. É o surpreendente produto entre o nada e a vontade de realizar.
O mundo está simplesmente seguindo o rumo previsto. Os negócios em tecnologia já ultrapassam em muito os mercados das commodities mais essenciais. Por isso especular tende a render menos do que conhecer; enfeitar deve vender menos do que aumentar a eficiência; simplificar é mais importante do que sofisticar. Esses são alguns movimentos que já podem ser observados. E representam também diretrizes importantes para os produtos e serviços a serem ofertados pela EiTV nas feiras e exposições de 2017.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COQUELUCHES DA TECNOLOGIA

GUERRA FRIA 2.0

O SILÊNCIO INOPORTUNO