CRESCE O PAPEL DA TV NO BRASIL



Quando o IBGE constatou que, no Brasil, existiam mais casas com televisores do que casas com geladeira, muita gente ficou perplexa. Até hoje não são poucos os que se surpreendem com o fato. O televisor continua ganhando da geladeira. Mas, se antes só perdia para o fogão, agora está atrás também do celular. O que ele não perdeu foi a mania de, mesmo desligado, quebrar alguns consensos.

A PNAD – Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, que o IBGE realiza regularmente, trouxe a novidade na edição de 2021. A boa e velha TV, pela primeira vez, passou a ser mais usada para acessar a Internet do que o computador. De novo, só perde para o celular. Aliás, de “velha” a TV não tem mais quase nada. Nas duas últimas décadas os aparelhos têm chegado ao mercado com aprimoramentos significativos, daqueles que fazem o cidadão se apertar para comprar um novo. O ritmo de inovação acelerou muito com a chegada da TV digital.


Nos tempos da TV preto e branco os filhos cresciam assistindo à mesma TV que os pais ganharam de um padrinho de casamento. Veio a TV em cores e todo mundo trocou. Demorou um tanto até a chegada das “telas grandes”, a maior tinha 33 polegadas. Até que, no início deste século, o mercado brasileiro conheceu os modelos voltados para a geração digital. Aparelhos com telas de plasma foram vendidos pelo preço de um automóvel zero. Hoje, uma TV média tem tela de 43 polegadas, é mais fina do que o blindex do banheiro e principalmente, a qualidade de som e imagem é incomparável com aquelas antigas. O aparelho ganhou muitas outras utilidades, dentre elas, o uso de vários tipos de aplicativos. Cerca de 98% dos aparelhos vendidos atualmente são do tipo smart TV.


Certamente, o dado da pesquisa não reflete apenas um desinteresse dos lares pelos microcomputadores, tipo PCs. Mas principalmente a mudança no uso da Internet. Primeiro as pesquisas escolares, algumas atividades de trabalho. Mais tarde as redes sociais passaram a dominar, até que a banda larga trouxe o streaming. Na medida em que cresce a capacidade da Internet ela vai se expandido para as aplicações mais inusitadas, em várias áreas. Os aparelhos de TV estão acompanhando o ritmo, inclusive para dar conta do lazer mais praticado no mundo. Também de outros que vão surgindo. É o caso dos games, que já conquistaram muito espaço enquanto entretenimento. E o televisor é o principal palco para essas aventuras virtuais. Em alguns países, jogos de sucesso chegaram a conquistar o primeiro lugar no tempo de uso das telas dos televisores. Uma demanda que não surge apenas a partir dos jovens, mas também dos pais deles. Com as mulheres alcançando muitas vitórias nas disputas mais importantes, a tendência é de um ritmo de crescimento  mais acelerado na pratica desse tipo de lazer. Com uma boa TV, melhor ainda.


Talvez nenhum outro eletrodoméstico tenha alcançado uma evolução tão expressiva. Fogão, geladeira, máquina de lavar, secadoras, acrescentaram algumas funcionalidades interessantes, mas nenhuma surpreendente. Os aspiradores de pó robotizados podem ser considerados os precursores da domótica, a robótica doméstica. Com a chegada do 5G essa linha de produtos tende a crescer bastante, e isso é tudo que dá pra dizer agora. A tecnologia não tem respeitado muito as previsões. Ela costuma tomar uma direção de forma aparentemente independente. E a gente fica sem entender se a tecnologia tem apenas uma enorme capacidade de sedução, ou se ela consegue apurar, melhor do que nós mesmos, do que precisamos.


O que os órgãos de governos têm confirmado é que, diferentemente do que acontecia no século passado, as tecnologias de consumo estão transformando a sociedade em todas as classes sociais. A indústria tem percebido que, havendo implementações convincentes, o público compra. A quantidade de celulares que são substituídos anualmente é muito grande. Os preços crescem, mas as formas de financiamento também. Os televisores já acompanham essa lógica. Nos últimos dez anos, a quantidade de aparelhos trocados não aconteceu em função de quebra. Mas sim pelo desejo de ter, no conforto do ambiente doméstico, novas funcionalidades que aumentam a qualidade do audiovisual. O esforço que várias famílias fazem para alcançar esse desejo, reforça a sensação de que, ainda por muito tempo, o streaming estará entre as formas preferidas de lazer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COQUELUCHES DA TECNOLOGIA

GUERRA FRIA 2.0

O SILÊNCIO INOPORTUNO