“-SENHORAS E SENHORES, É COM MUITO ORGULHO...”




As marcas que se associaram para a apresentação são Dolby, Hitachi Kokusai Linear, EiTV e TV Globo. O local da apresentação é o estande do Pavilhão Brasil na NAB Show 2019, o maior evento do mundo para mídia, entretenimento e suas tecnologias, em Las Vegas. A apresentação irá ilustrar a utilização de HDR e Áudio Imersivo no padrão ISDB-Tb. Estas são algumas das novas possibilidades oferecidas pelo DTV Play, o middleware que promete revolucionar a televisão aberta no Brasil e em várias partes do mundo. 

“Revolucionar”, no caso, significa assistir à TV aberta com qualidade de imagem 4K HDR e som imersivo. Ou ainda, ao final do capítulo de uma série exibida num determinado canal, ter a opção de assistir ao próximo capítulo, com um simples toque no controle remoto da TV. Revolucionar significa ter na tela da TV aberta, por meio de um único controle remoto, tudo que você buscava em várias telas diferentes.

O DTV Play é uma evolução do Ginga, o middleware do Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD). Ele traz um novo conceito de “mídia conectada”, com a mais simples e harmoniosa integração de sistemas broadcast e broadband. Um sonho que parecia distante para nós brasileiros, há dois anos, quando empresas americanas e sul coreanas lançaram o ATSC 3.0, o principal modelo a integrar TV e Internet.

O ATSC 3.0 – ou New Gen TV (NGTV) – apareceu pela primeira vez na NAB Show há 4 anos, ainda em fase experimental, mas nunca teve tanto espaço na feira e no congresso como está previsto para este ano. Ele oferece todos os recursos do DTV Play e mais alguns, mas exige uma completa transformação tecnológica das emissoras e a troca dos televisores do tipo que estão no mercado hoje em dia. O momento é decisivo para TV aberta no mundo todo. O modelo de negócio que sempre foi usado está se tornando inviável economicamente. Tudo por causa da concorrência que chegou com a Internet.


“-UM OFERECIMENTO ESPECIAL PARA... VOCÊ”


No modelo de negócio atual da TV aberta, ela é um “presente” que os anunciantes oferecem ao público. Eles pagam tudo que vai ao ar para exibirem suas marcas, produtos e serviços nos intervalos comerciais. Para o anunciante, quem está recebendo a mensagem comercial é simplesmente a “audiência”, uma grande massa, completamente heterogênea, que tem algumas características em comum e poucas reações previsíveis.

Com a Internet surgiram muitos meios para conhecer melhor cada um que acessa a rede, seus hábitos e preferências. Você! De forma que, ao abrir algum conteúdo, cada internauta visualiza um anúncio direcionado, que de fato interessa a ele. Com o DTV Play isso passa a ser possível também na TV. Um mesmo espaço publicitário na tela pode ser vendido para muitos anunciantes ao mesmo tempo, uma vez que cada segmento da audiência vê apenas o anúncio de interesse daquele segmento. Como o preço de cada anúncio pode ser bem reduzido, o número de potenciais anunciantes aumenta. Essa conta fecha com um faturamento maior para as emissoras.

Nesse primeiro momento o DTV Play vai abrir novos espaços comerciais na tela da TV. Durante a programação um pequeno banner vai surgir rapidamente, num canto da tela, com uma mensagem publicitária. A publicidade que vai para um grupo de consumidores será diferentes das que irão para outros grupos, tudo ao mesmo tempo, no mesmo espaço da tela. Serão mensagens de interesse específico para cada segmento de mercado. Esse real interesse vai ser previamente apurado pelo próprio DTV Play, com base nos hábitos de cada telespectador ao ver TV. Isso deve tornar a mensagem comercial oportuna, e não um incômodo para quem assiste. Outra comodidade é que cada um terá a opção de abrir ou não o anúncio, além de outras alternativas que o sistema oferece, como pausar a programação que está no ar.

Os intervalos continuam com a exibição de filmes publicitários voltados à grande massa, necessários para fortalecer novas marcas, mobilizar o público para grandes eventos e outras metas de macro comunicação. 

O DTV Play começa a chegar ao mercado em 2020, com os modelos de smart TVs das grandes marcas. No momento o Fórum SBTVD, em seu módulo técnico, está desenvolvendo a suíte de testes, para padronizar novas implementações do middleware.


O SHOW DEVE CONTINUAR


A NAB Show é o “olimpo” da tecnologia de televisão. Neste momento, a conexão da mais tradicional mídia audiovisual com as novas mídias é um passo decisivo para se manter a soberania do televisor dentre as muitas telas de hoje em dia.

Tecnicamente, essa possibilidade veio a partir do desenvolvimento e inclusão do módulo Ginga CC Web Services. É a grande novidade do middleware brasileiro, que passou a se chamar DTV Play. Essa arquitetura foi inspirada no ATSC 3.0. Por meio do novo módulo todas as outras aplicações web podem interagir, se integrarem à TV, que se transforma no núcleo do que passa a ser o “ecossistema televisivo”. O celular, pela onipresença, é a segunda tela natural, o tablet também é muito bem vindo, assim como todas as outras mídias da plataforma web.

A EiTV teve participação marcante no desenvolvimento do DTV Play e tem tradição na criação e implementação de muitas soluções para Internet. Está entre as startups pioneiras do SBTVD. É com essa experiência que Rodrigo Araújo, fundador da EiTV, insiste na importância de não esquecer o momento de implantação que a TV Digital vive: “-Todas as etapas da implantação já foram solucionadas em experiências reais porém, o espectro a ser digitalizado no mundo todo, ainda é muito grande.”

Por isso a EiTV, a partir desta segunda-feira, além de apresentar o futuro da televisão na NAB Show 2019, estará expondo as soluções de melhor custo benefício para digitalização do sinal de emissoras abertas. O EiTV Dual Channel Encoder é um equipamento compacto que digitaliza o sinal Full HD e 1-Seg a partir da saída SDI do controle mestre até o transmissor. O EiTV Closed Caption é a solução de acessibilidade completamente automatizada. Converte o áudio em legendas, identifica outras eventuais legendas e insere a prioritária. Tudo num só equipamento, sem operador.

A linha EiTV Inspector garante a qualidade do sinal, da torre ao receptor. Na emissora, analisa todos os parâmetros de sinal, tabelas, e grava a programação por até 3 meses. O EiTV Inspector Box analisa o sinal que chega em cada ponto de recepção. E para a transição do sinal o EiTV CC Box gera digital e analógico a partir de uma entrada digital. Ele exibe ainda as tarjas e cartelas obrigatórias do switch off e todos os avisos, conforme o calendário.

Já a plataforma EiTV CLOUD é uma solução não apenas para emissoras de rádio e TV, mas para todos os tipos de negócios que queiram utilizar conteúdos audiovisuais. A plataforma é toda gerenciada por um desktop ou notebook. O serviço EiTV CLOUD pode ser contratado e o cliente paga apenas o espaço que utiliza. Apps com a configuração da sua preferência, ficam disponíveis para baixar no celular do público que você escolher para monetizar, ou simplesmente exibir o seu conteúdo audiovisual.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COQUELUCHES DA TECNOLOGIA

GUERRA FRIA 2.0

O SILÊNCIO INOPORTUNO