TECNOLOGIA DE CONSUMO QUE CONVENCE




Quem esteve na NAB Show há 15 ou 20 anos pode sentir um clima parecido quando entrar na MWC 2019. Está no ar aquela ansiedade diante da certeza de novidades surpreendentes, que chegam para fazer história.

No começo deste século o que a NAB lançava em Las Vegas era a TV Digital. Na MWC, que começa nesta segunda-feira em Barcelona, além de novidades das principais fabricantes de celulares, o 5G entra em ebulição. Vai ser a largada para uma nova era nas tecnologias de consumo e também empresariais.

O 5G, a conexão de 1Gb, com latência menor do que a de um controle remoto, tem tudo para descortinar uma segunda natureza na vida em sociedade. Vai elevar o desempenho e ampliar os horizontes para outras tecnologias transformadoras como IoT (Internet das Coisas), AR (Realidade Aumentada), VR (Realidade Virtual) e AI (Inteligência Artificial). A tendência é de que muitas coisas passem a acontecer automaticamente no nosso cotidiano, de maneira tão natural como a luz que entra no quarto pela manhã quando você abre a janela. Sistemas estarão atentos à qualquer presença, que será identificada individualmente para demandar recursos. Exagerando, lembra o ar que a gente respira, sem se dar conta daquela onipresença vital que nos envolve.

É o que a Mobile World Congress chama de “Conectividade Inteligente”. Uma interação permanente, tão espontânea e personalizada, que vai ser quase imperceptível para as gerações futuras.

De forma quase didática a organização do evento dividiu os principais assuntos em alguns temas notáveis: inteligência artificial, indústria 4.0, conteúdos imersivos, confiabilidade dos sistemas e bem estar digital.

Comparando novamente ao lançamento da TV Digital, vale lembrar que ela trouxe a completa transformação de todo o parque tecnológico do setor, principalmente no nível de geração. Para o consumidor, depois de uma verdadeira revolução os televisores, eles ainda chegam com coisas novas porém, sem o potencial de provocar o assombro de 20 anos atrás.

A grande novidade que a TV Digital prometeu, mas o público desdenhou, foi a interatividade. Justamente porque a tecnologia apontava para outra via de interação, mais efetiva, numa associação com a tecnologia mobile. Por meio dela será estabelecido um novo patamar de convivência da sociedade com a tecnologia, não mais apenas com a TV. Uma nova história que só está começando.


A FESTA DOS LEIGOS E O TRABALHO DOS PROFISSIONAIS


Nesta edição a MWC 2019 vai parecer muito maior para os engenheiros do que para o público em geral. O consumidor vai ver celulares incríveis, técnicos vão observar detalhes de tecnologias embarcadas e as perspectivas de desenvolver novos serviços, negócios e os respectivos apps. Se, no ano passado, um grande destaque dos fabricantes ficou por conta das baterias de longa duração, desta vez os celulares chegam de maneira agradavelmente explosiva.

O Galaxy Fold, o primeiro dobrável do mercado, estabelece um nível acima do premium em desempenho e preço. Com seis câmeras e capacidade de rodar até 3 programas simultaneamente – dentre outras aptidões – o preço de mercado vai girar em torno de US$ 2 mil. Com ele a coreana Samsung eleva e ocupa o topo do mercado de smartphones, e deixa para trás concorrentes como a americana Apple e a chinesa Huawey.

O Galaxy Fold já foi apresentado num evento no meio da semana em São Francisco. Mas a Sony, que ainda não conseguiu emplacar sua marca entre os celulares mais desejados, lança na MWC 2019 o Xperia XZ4. A missão é dar à marca o status de grande concorrente, condição com a qual está acostumada no mercado. Para isso, a Sony investiu no que mais conhece, as câmeras. Nada menos do que 52 MP, abertura de f/1.6. O design promete surpresas. A japonesa ainda não fala em modelos dobráveis, como também a LG. Pois é, a “outra coreana” chega a contraindicar telas dobráveis no momento. O diferencial que ela apresenta é o LG V50 ThinQ que opera em 5G e tem na tela um segundo auto falante, como já acontece com televisores da marca.

Entre as chinesas a Huawey, que está se posicionando com muita força, deve surpreender o mercado com o lançamento do Mate X, com tela dobrável de forma diferente (e melhor) que o modelo da Samsung.

A Motorola, decana dos celulares, já anunciou sua novidade em evento realizado no Brasil. Mesmo assim, é outra que deixa a pulga atrás das orelhas de analistas, com relação à eventual apresentação de um tela dobrável na MWC. Entre as mais tradicionais do setor tem ainda a Nokia – HDM Global, que quer retomar o protagonismo, apagado após a chegada dos smartphones. O Nokia 9, dentre outros caprichos, traz 5 câmeras na parte traseira.

Por fim, a Microsoft lembrou de ampliar o conceito mobile e lança a nova geração HoloLens, os óculos de realidade mista. Mas, por enquanto, ainda nada confirmado. Outras fabricantes como a Xiaomi também prometem novidades porém, com menor potencial para surpreender o público ou para eventos futuros.


TECNOLOGIA HUMANIZADA


O segmento mobile, mais do que outros no mercado TI, está “envelhecendo” as previsões mais ousadas muito rapidamente. O smartphone, em especial, vai virando o login de cada cidadão. Além das tradicionais funções de comunicação já paga as contas, arquiva documentos pessoais (título de eleitor, carteira de motorista, ...), acompanha sinais vitais do organismo (e também do trânsito), vai às aulas e bibliotecas da faculdade, exibe os canais de TV e outros conteúdos, chama táxi etc etc. Logo, ou as carteiras vão servir para guardar o celular ou não terão mais utilidade.

Por isso tudo, muito adequadamente, a MWC 2019 expande a discussão sobre segurança dos sistemas e bem estar digital. É preciso lembrar que o mobile existe para fazer parte das pessoas como se fossem novos órgãos típicos da espécie humana. É a máquina mais íntima do homem, precisa se ajustar muito bem à realidade humana.

Rodrigo Araújo, Diretor Comercial da EiTV, tem dedicado especial atenção, sob esse aspecto, ao mobile. Ele lembra que a empresa nasceu voltada para uma proposta educativa e o momento exige uma visão nesse sentido para integrar homens e máquinas de forma saudável e sustentável.

A plataforma da EiTV CLOUD, para gerenciamento de arquivos audiovisuais na nuvem, foi desenvolvida levando em conta segurança e conforto para os usuários. Os aplicativos para smartphones e tablets, para usuários remotos, de mais e mais segmentos agregados, levam em conta esses valores. Além de alavancar a produtividade dos negócios, a tecnologia precisa propiciar mais qualidade de vida aos usuários. O sucesso da EiTV no mercado prova que sabe bem como fazer isso.

No estande da EiTV, nesta quarta edição consecutiva da MWC, percebe-se a forte sintonia com a proposta do evento. É a tecnologia como funcionalidade dedicada ao aprimoramento da experiência humana, em todos os sentidos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COQUELUCHES DA TECNOLOGIA

GUERRA FRIA 2.0

O SILÊNCIO INOPORTUNO